29
Mar 07

 

Era uma vez no Rio Ainão dois homens foram a uma ilha que era habitada por bocas, só bocas, um seu amigo era repórter e como não era normal existirem bocas queria fazer uma reportagem, ou melhor até queria um fazer um filme com as bocas gigantes.

Houve muitos problemas por lá com as bocas e os dois homens, que chegou ao ponto de os levaram para a cadeia. O repórter pôs se lá a inventar desculpas para não ir para a cadeia e conseguiu, inventou tantas coisas que até eram privilegiadas por aquelas bocas. O que foi para a cadeia tinha por acaso a câmara na mão e filmou um pedido se SOS, e atirou para o seu amigo.

O homem que estava cá fora conseguiu apanhar a cassete com o pedido de SOS, tentou pedir ajuda até que apareceu lá um rapazito

Aquelas bocas estavam cheias de excessos ou beijavam de mais ou dançavam de mais ou eram más de mais, foi por isso que o prenderam.

O rapazito com ele trazia um rolo de fita-cola, não era um rolo de fita-cola normal era mágico.

O rapazito e o repórter foram á cadeia e trouxeram o homem que estava preso.

O objectivo era por aquele fita-cola nas bocas que tinham excessos, ate que conseguiram, foi muito difícil.

Aquela ilha voltou ao normal as bocas voltaram a ser quem eram tudo como antes, mas o repórter com aquela agitação toda não gravou aqueles excessos todos, mas isso até não lhe em portou muito.

 

 

 

Fim

publicado por FlAvIa dIaS às 13:33

fixe
Anónimo a 7 de Junho de 2007 às 15:56

Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO