13
Mar 08

Estavam sentadas à porta da escola à espera da mãe, quando chega o pai com uma cara que poucas vezes a fazia.

Clara já achava que sabia o que se passara, visto que a mãe nunca se atrasara, só podia ser uma coisa.

O pai contara a mim e a minha irmã que minha mãe faleceu. O mundo desabou sobre nós.

O meu pai foi viver com a nova namorada, e nos fomos viver com a nossa avó. Nas noites a minha irmã Clara sonhava com a nossa mãe, a nossa querida mãe.

A minha avó meteu-nos numa grande escola, ensinava-nos catequese…

A minha irmã desde essas aulinhas de catequese mostrava um interesse especial. Custou-nos muito a aceitar a morte da nossa mãe, chorava-mos sempre, aquilo era impossível negar!

Alguns anos depois encontrava a minha irmã atrás da capela que tinha na casa da avó a rezar, eu achava aquilo tudo muito estranho, mas não dava muita importância. A minha avó gostava que ela fosse professora porque achava que ela tinha um jeitinho especial para isso.

Num jantar com a família a minha irmã disse que gostava de ser freira a minha avó ficou de boca aberta pois achava aquilo uma coisa de outro mundo, e disse que em breve ia para a África, ia ser missionaria, ajudar os outros.

Pouco tempo depois ela partiu, eu mandava-lhe algum dinheiro para ela ajudar quem mais precisava.

Casei, Adoptei uma filha, tive outra e sou muito feliz, Clara por lá ficou, feliz a saber que estava a ajudar quem mais necessitava.

Ambas fomos mães mas de maneira diferente.  

publicado por FlAvIa dIaS às 15:08

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO